9 de fev de 2010

No one's here and I fall into myself

                 E quando tudo o que não disse para poupar os outros começa a me machucar, é enlouquecedor. Viver entre tudo o que, escondido dentro de mim mesma, nunca ficou inerte é um tanto quanto perturbador. Dá até vontade de tirar tudo a força, como se fosse algum tipo de sentimento materialzado ali na boca do estômago... mas a vontade é de arrancar tudo com as próprias mãos. A dor da ação é infinitamente pequena se comparada ao alívio procedente.
              Me arrependo de nunca ter sido tão verdadeira quanto agora. De ter me escondido, escondido meus sentimentos, para não "machucar" os outros. E acabo mutilando minha alma. Achei qie doeria muito mais em mim machucar outra pessoa, aqueles que sempre foram meus melhores amigos e sempre estiveram ao meu lado. Mas agora, que minha alma, minha essência, meu eu e tudo o que está dentro de mim está mais transparente, as pessoas se afastam. Inevitável pensar que só eram meus "amigos" pelo fato de que eu nunca os magoei, tudo que eu fiz e falei foi para o seu conforto e felicidade.
           Chega de pensar primeiro neles. Eu tenho muito mais valor do que eu pensava e não há mais motivos pra não ser quem eu realmente sou. E motivos para esconder coisas sobre mim, sinceramente, nunca houve.

Nenhum comentário: