16 de fev de 2010

vagando incessantemente

até encontrar o lugar onde eu me sinta segura.



nao há rotas nem ao menos mapas. é a vida, é o que dizem. aquela eterna busca ao pote de ouro no fim/começo do arco-íris. não conheço quem já o tenha encontrado. é natural do ser humano não se contentar com o que consegue, sempre querendo mais e mais. nunca pára e a isso deve-se todo e qualquer tipo de avanço. mesmo se eu traçar uma meta como "eu vou pedalar até conseguir chegar ao topo daquela ladeira, não vou parar, eu só paro quando chegar lá" com certeza, quando eu chegar lá, verei que mais além do topo. talvez uma descida, talvez uma reta, talvez mais uma subida. mas a minha motivação por ter chegado ao ponto que eu estabeleci faz-me pensar "se eu cheguei até aqui, consigo ir mais além, eu sou capaz" e continuo. conquistas pessoais, provas de poder e força. nunca acaba, é um ciclo que se segue até que nossos limites sejam alcançados. mas não é por isso que acaba, porque não acaba. a partir do momento que o limite é alcançado, não conseguimos mais chegar ao objetivo e isso é frustrante "sempre consegui, por que agora está difícil?"... e assim seguimos até a vida começar a se esvair de nosso ser e as lutas ficarem pesadas demais... até chegar aquela hora.

sempre fica algo pra trás, sempre.

meu arco-íris me chama.

Nenhum comentário: